Chamada de ‘fábrica de documentos pelo Gecoc’, locadora diz que opera na legalidade

Parte dos documentos apreendidos

Alvo de cumprimento de mandados de busca e apreensão durante a operação deflagrada pelo Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público Estadual nesta quinta (28), a locadora de veículos LLMAR divulgou nota oficial por meio da sua assessoria sobre a investigação.
 
A empresa afirma que todos os contratos entre os entes públicos são lícitos. “A Locadora de Veículos LLMAR continua em plena atividade, apesar da operação de busca e apreensão realizada na manhã de quinta-feira, 28 de abril. A LLMAR afirma que todas as contratações feitas entre ela e os entes públicos são lícitas e baseadas na legislação vigente. A empresa permanece, como sempre permaneceu, à disposição da Justiça para prestar esclarecimento sempre que necessário”, diz trecho do documento.
 
O proprietário da empresa, o advogado Luciano Lima Lopes, foi preso – e posteriormente teve a prisão revogada – e apontado pelo Ministério Público como mentor do esquema que operaria em diversas prefeituras de Alagoas.
 
Também na manhã de hoje (29) a Prefeitura de Inhapi enviou nota afirmando que o único contrato de locação firmado junto a LLMAR está dentro da legalidade. Durante a busca e apreensão, foi recolhida uma pasta com o nome da prefeitura.
 
Ontem, em entrevista à imprensa, o promotor Luiz Tenório, do Gecoc, informou que foram recolhidos sacos com carimbos de prefeituras e secretarias, planilhas de lucro estabeleci para empresa e outros participantes e procedimentos licitatórios fraudulentos.
A Locadora de Veículos LLMAR, alvo da operação de busca e apreensão realizada ontem pelo Gecoc, divulga na manhã desta sexta-feira, 29 de abril, nota oficial sobre a ação do MPE. Caso a pauta da ação do Gecoc entre na pauta de vocês, é possível citar a nota ou trecho dele?
 
A Locadora de Veículos LLMAR esclarece a toda sociedade, aos seus clientes e fornecedores que, apesar da operação de busca e apreensão realizada na manhã de quinta-feira, 28 de abril, na sede da empresa e na residência de seu diretor, Luciano Lima Lopes, continua em plena atividade. A Justiça revogou, na mesma tarde, a prisão temporária anteriormente decretada de Luciano Lima Lopes, após requerimento feito pelo próprio Ministério Público Estadual (MPE). A LLMAR afirma que todas as contratações feitas entre ela e os entes públicos são absolutamente lícitas e baseadas na legislação vigente. A empresa permanece, como sempre permaneceu, à disposição da Justiça pa ra prestar todo e qualquer tipo de esclarecimento sempre que necessário. Por fim, a empresa repudia expressamente a divulgação dos vídeos e fotos quando do cumprimento do mandado de busca e apreensão, fato que causa enorme desonra e expõe desnecessariamente esta empresa e toda família gestora.  

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!