Hugo Gross vai à delegacia e mostra vídeo da ex depredando portaria

01/12/2016 22:31

Modelo de 24 anosprocurou a polícia afirmando ter sido brutalmente agredida na madrugada de terça-feira

Acusado pela ex-namorada de ser o mandante da agressão que ela teria sofrido de dois porteiros num condomínio em Curicica, Zona Oeste do Rio, o ator Hugo Gross disse ao EXTRA, nesta quinta-feira, ter provas contra a mulher, que, segundo ele, teria se "autoflagelado".

A modelo e atriz Jéssica França Ferreira, de 24 anos, procurou a polícia afirmando ter sido brutalmente agredida na madrugada de terça-feira, enquanto tentava entrar no edifício do ator para buscar seus pertences. À polícia, Jéssica mostrou imagens de hematomas no rosto e corpo e afirma ter levado socos, empurrões e puxões de cabelos que teria sofrido dos porteiros.

 

 

Hugo negou as acusações e procurou a 42ª DP (Recreio) na tarde desta quinta-feira, junto com o seu advogado, do porteiro e do síndico do prédio. O ator, de 52 anos, afirma que a ex-namorada teria forjado as agressões. Ele entregou à polícia imagens gravadas por câmeras da portaria do edifício em que mora mostrando Jéssica alterada e depredando o local. Nas imagens, enviadas pelo ator ao EXTRA, a mulher aparece com uma barra na mão quebrando objetos da portaria.

"Eu não vou prestar queixa dela. Até porque, ela está dizendo aqui, pelo que eu li, que tentou entrar no meu apartamento e eu não deixei ela entrar. Ela não está me acusando de agressão, só disse para a polícia que eu mandei os caras agredirem ela. Tudo isso é mentira. E as gravações mostram ela quebrando a portaria e se autoflagelando. Está tudo gravado. Ela quer notoriedade", disse ele, dando sua versão para o caso: "Ela chegou na minha casa às 3h da manhã querendo buscar as coisas que ela tinha lá. Não moramos juntos. Ela ficava lá às vezes. Ela estava alteradíssima e quebrou toda a portaria. O síndico gravou ela puxando o próprio cabelo. Ela mesmo se autoflagelou. Ninguém encostou nela. Está tudo gravado".

Hugo, no entanto, não mostrou ao EXTRA as imagens de Jéssica se autoflagelando. "Essas imagens não estão comigo, estão nos autos do processo. Há testemunhas. Inclusive, o cara que ela chamou de macaco contou que ela se autoflagelou", explicou. Segundo Hugo Gross, Jéssica estaria inconformada com o fato de ele ter colocado um ponto final na relação.

"Ela estava proibida entrar no meu edifício, e ela invadiu o apartamento. Eu tenho todas as provas. Ela foi toda monitorada: desde os momentos que ela invadiu o apartamento, bateu na minha porta, quebrou a portaria, se autoflagelando, se jogando no chão e chamando o porteiro de 'macaco'", acusa.

Jéssica fez a denúncia na Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM) de Jacarepaguá e também passou por exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal. Os resultados apontaram lesões no corpo de Jéssica. A modelo pediu ainda uma medida protetiva contra Hugo.

'Ele sempre me agrediu'

O EXTRA também falou com Jéssica por telefone, e a atriz contou que foi ao apartamento de Hugo para buscar seus pertences. Ela ainda afirmou que também sofria agressões físicas do ator durante os quase dois anos em que eles estiveram juntos.

"Tudo o que ele disse é mentira. Como eu mesma iria me machucar assim? Se ele afirma que tem provas, que mostre! Ele precisa criar alguma coisa pra se defender. E, com certeza, tudo isso foi algo premeditado. Ele mandou me agredir e sempre me agrediu. A primeira vez foi há dois carnavais atrás. Me batia, enforcava o meu pescoço, dava soco na minha costela, puxão de cabelo... Eu tenho fotos que mostram que eu fiquei sem cabelo", afirma.

"Não me separei dele e nem denunciei porque eu gostava. Ele falava que me amava, que a gente ia casar, ter uma família... E dizia que ia mudar", disse ela, chorando. Sobre as imagens do vídeo em que aparece depredando a portaria do prédio, Jéssica afirma: 'Eu estava sendo agredida, então, não ia ficar parada. Natural eu me defender". Segundo ela, as brigas eram constantes e aconteciam por ciúme da parte do ator.

"Ele é muito ciumento. A gente foi almoçar na segunda-feira, e ele cismou que eu estava olhando para um rapaz. Toda a vez que a gente sai, eu tenho que ficar olhando para a parede, não posso ficar olhando para os lados. Eu estou muito triste, porque ainda gosto dele, mas depois que ele mandou os porteiros me baterem, não tive outra alternativa a não ser denunciar".

Em entrevista ao EXTRA, Hugo afirmou que nunca encostou um dedo em Jéssica. 'Nós namoramos por pouco mais de um ano e eu nunca a agredi. Se ela fala que eu agredi, porque ela não me denunciou na época? Cadê a queixa? O sonho dela é ser famosa. Eu descobri algumas coisas que eu não gostei. Em fevereiro eu fiz uma medida securatória contra na delegacia falando que todas as vezes que eu falava que ia terminar o namoro ela me ameaçava".

Porteiro presta queixa por racismo

Uma das testemunhas do caso, o porteiro Rodrigo contou ao EXTRA que Jéssica quis entrar no apartamento de Hugo, que não se encontrava em casa. Segundo ele, a modelo ficou indignada por não poder entrar no prédio e começou a confusão. "Ela disse que ia descer e procurar o carro dele (do Hugo) para quebrar. Ela também disse que ia quebrar o carro dos moradores. Eu e um colega, também porteiro, tentando impedi-la, mas sem encostar nada. Ela, então, me chamou de macaco, criolo e cuspiu na minha cara, e deu um tapa na cara do outro porteiro", contou ele, que prestou queixa contra a modelo por racismo na 42 DP.

Rodrigo contou que o síndico chamou a polícia pra tentar conter Jéssica e que nesse momento, ela começou a se ralar no chão. "Ela dizia que ia mostrar para o policial que foi a gente que fez aquilo. De maneira nenhuma a gente tocou nela. Estava eu, mais um porteiro, o síndico e um taxista.

 

Voltar

Contato

Jovem News
São Paulo
São Paulo, Brasil

+55 (82) 9809-5017

© 2017 Todos os direitos reservados.

Make a free website

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!