Vítimas de infarto: Sesau lança programa para agilizar assistência

Ricardo César Cavalcanti - Médico

Estar no interior do Estado, sentir uma dor no peito, suspeitar de um infarto e não dispor de um cardiologista para ser examinado e receber o diagnóstico e tratamento em tempo oportuno. Essa é a realidade vivenciada por milhares de alagoanos, mas que vai começar a mudar a partir desta sexta-feira (29), às 8h30, quando o governador Renan Filho e a secretaria de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, lançam, no Hotel Jatiúca, em Maceió, o Programa América Telemedicina Infarct Network (LATIN), que irá implantar dois serviços de diagnóstico do infarto agudo do miocárdio, agilizando a assistência e assegurando que as vidas dos alagoanos sejam salvas.
 
Concebido em parceria com o Hospital do Coração de Alagoas (Hcor/AL), o programa irá contar com uma unidade na Santa Casa de São Miguel dos Campos e outra na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Delmiro Gouveia. Desse modo, quando alguém que esteja nestas duas cidades ou municípios vizinhos sinta uma dor no peito, basta se dirigir a um dos dois serviços, que será imediatamente submetido a um eletrocardiograma, onde será atestado se o paciente está enfartando ou correr risco de enfartar.
 
De forma ágil e eficiente, o exame será remetido instantaneamente, via internet, para duas centrais cardiológicas, que irão funcionar 24 horas, sendo uma no Hospital do Coração de Alagoas, em Maceió, e outra em Minas Gerais. Imediatamente, segundo o cardiologista Ricardo César Cavalcanti, um dos cardiologistas que estará de plantão nas centrais de cardiologia, irá realizar a leitura do eletrocardiograma, apresentando em poucos minutos um diagnóstico para o paciente e orientando qual a conduta assistencial e terapêutica deverá ser seguida.
 
“Feito isso, será possível saber se o paciente vai necessitar receber um trombolítico, medicamento utilizado para dissolver trombos sanguíneos na artéria do coração, que impede o sangue de transportar oxigênio, causando o infarto. Também será verificado se o usuário deve passar por uma um angioplastia primária no coração. Com o diagnóstico, o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] será acionado e o paciente vai ser encaminhado imediatamente para o HGE [Hospital Geral do Estado], em Maceió, onde uma equipe multidisciplinar já o espera para realizar os procedimentos necessários”, informou Ricardo César Cavalcanti
 
Interiorização do diagnóstico do infarto – O cardiologista enfatiza que a grande relevância do projeto é interiorização do diagnóstico e o suporte inicial para as vítimas de infarto agudo do miocárdio, uma vez que, a maioria dos municípios alagoanos não possuem eletrocardiograma e, muito menos, cardiologistas atuando. No entanto, por meio da telemedicina, “as informações sobre os pacientes chegarão aos especialistas em questão de segundos, iniciando o tratamento ainda em uma unidade básica ou na ambulância, sem que seja necessário chegar até o hospital de referência, reduzindo drasticamente ou evitando a possibilidade de óbitos”, explicou o cardiologista, ao salientar que Alagoas é o primeiro estado do Norte/Nordeste a ingressar na vanguarda da assistência cardiológica por meio da telemedicina.
 
Ainda de acordo com Ricardo César Cavalcanti, os resultados do projeto já são comprovados, uma vez que na cidade de São Paulo, no Hospital Santa Marcelina, o início do tratamento passou de 80 para 40 minutos e a mortalidade por infarto agudo do miocárdio caiu de 11,4% para 5,2%. Funcionando há dois anos, o projeto assegurou a realização de 47 mil eletrocardiogramas e, com o apoio do LATIN, 430 pacientes foram identificados com infarto e receberam um tratamento muito mais rápido.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!